Aula aberta dia 11 de Março

No passado dia 11 de Março o projeto LIFE-RELICT promoveu uma aula aberta sobre a Laurissilva Continental, dirigida a estudantes da Universidade de Évora, mas aberta a todos os interessados.

Estiveram presentes 22 alunos de quatro cursos diferentes: Arquitetura Paisagista, Biologia, Ecologia e Ambiente e Engenharia Florestal.

Nesta aula aberta, que mais pretendeu ser uma conversa informal, foi discutida a origem da Laurissilva existente no Continente Europeu e a importância da Rede Natura. Foi também explicado de que forma as Fichas de Habitats da Rede Natura disponibilizam informação relevante para a conservação natureza, que pode ser aplicada em diferentes áreas profissionais.

Um dos aspetos mais importantes desta sessão, foi a possibilidade de interação entre alunos com diferentes formações, cuja troca de conhecimentos tornou bem patente a importância da cooperação multidisciplinar.

Foram 3 horas bem passadas!

 

Conhece a Laurissilva Continental?

As sementes estão a ganhar vida!

Começou a germinação das sementes de azereiro, adelfeira, carvalhos e muitas outras espécies!

Durante os meses de novembro e dezembro de 2018 recolheram-se milhares de sementes de várias plantas típicas das comunidades de azereiro (Prunus lusitanica L.) e adelfeira (Rhododendron ponticum subsp. baeticum (Boiss. & Reut.) Hand.-Mazz.). Estas sementes encontram-se no viveiro do CICYTEX para germinarem e crescerem o suficiente, a fim de serem plantadas nas áreas do projeto Life-Relict (Serra de Monchique, Açor e Estrela). As dificuldades iniciais, sobretudo associadas à germinação do azereiro, foram ultrapassadas e este ano temos uma grande quantidade de plântulas.

É fantástico como a germinação do azereiro está vigorosa. Prevêem-se boas notícias para a sua recuperação!

As sementes de adelfeira apresentam elevada percentagem de germinação, contudo, muitas das plântulas perdem-se por dificuldades adaptativas. Neste sentido, o substrato utilizado é recolhido diretamente no campo, reproduzindo assim mais fielmente as condições favoráveis ao crescimento das plântulas.

 

 

Também os carvalhos, de forma geral, já apresentam evidências de germinação. Carvalho-africano (Quercus canariensis Willd.), carvalho-alvarinho (Quercus robur subsp. broteroana O. Schwartz), carvalho-negral (Quercus pyrenaica Willd.), entre outros, estão já com vontade de se mostrar ao público. Em breve teremos belíssimos carvalhos para plantar!

Rota dos Socalcos

No dia 27 de dezembro o Centro de Interpretação da Serra da Estrela (CISE) em parceria com as Aldeias de Montanha e Cabeça realizaram uma caminhada pela Rota dos Socalcos. Este percurso, com cerca de 3 quilómetros, integra os Caminhos de Montanha da rede de percursos pedestres das Aldeias de Montanha, desenvolvendo-se num vale de vertentes abruptas e de marcado carácter rural, junto à aldeia de Cabeça (Aldeia Natal). Nesta aldeia, alojada no topo de um cabeço sobranceiro à ribeira de Loriga, o casario tradicional constitui um dos melhores exemplos de uma povoação de traça típica em xisto, da Serra da Estrela.
No trajeto percorreram-se áreas de socalcos e nas margens da ribeira observaram-se bosquetes de azereiros e azevinhos, testemunhos da vegetação natural do vale em épocas anteriores ao último período glaciário.
Parte da rota insere-se na área de estudo do projeto “Preservação das Relíquias da Laurissilva Continental” (LIFE-Relict) que, nesta região, tem como principal objetivo a preservação das comunidades de azereiro aqui existentes.

 

Seminário LIFE RELICT/17º ENCONTRO NACIONAL DE ECOLOGIA

 

O Seminário LIFE RELICT/17º ENCONTRO NACIONAL DE ECOLOGIA realizou-se nos dias 15 e 16 de novembro de 2018, na Universidade de Évora. Promovido pela Escola de Ciência e Tecnologia da Universidade de Évora e em estreita colaboração com a Sociedade Portuguesa de Ecologia (SPECO), o evento contou com mais de 180 participantes nacionais e estrangeiros. No painel das apresentações abordaram-se quatro grandes temas relacionados com a valorização da natureza, nomeadamente:

  • Grandes ameaças à conservação da biodiversidade;

  • Gestão e conservação de espécies e habitats;

  • Ecologia, gestão e planeamento de ecossistemas aquáticos;

  • Monitorização e modelação de habitats em resposta a alterações globais.

Contou também com a presença de um conjunto de oradores veteranos que acomulam décadas de experiência como é exemplo do professor Angel Penas e do Tomáz Dias, da vizinha Espanha. Assim, houve a possibilidade de uma troca de experiências entre investigadores e alunos, onde os projetos Life tiveram um especial destaque.

Relativamente ao projeto LIFE-RELICT (NAT/PT/000754) divulgaram-se os primeiros resultados das intervenções realizadas, nomeadamente sobre melhoria do estado de conservação das comunidades paleotropicais de azereiro na Serra do Açor e Estrela, bem como de adelfeira na Serra de Monchique.

 

 

 

 

 

Valorização e Gestão dos Azereirais Mediterrânicos

No passado dia 8 de junho de 2018 o projeto Life-Relict organizou em parceria com o Centro Interpretativo da Mata da Margaraça a 1ª Jornada Técnica na Mata da Margaraça, intitulada “Valorização e Gestão dos Azereirais Mediterrânicos”.

A jornada contou com mais de 35 participantes representantes de associações como a Quercus, ICNF, Reflorestar Portugal, Cicytex, o Município de Oleiros, Centro de Ecologia Funcional e um grupo de sapadores florestais.

Esta jornada pretendeu dar a conhecer os azereirais, identificar o seu estado de conservação e divulgar práticas de ensinar práticas de gestão deste habitat sujeito a várias ameaças.

A jornada foi dinamizada pelos formadores/oradores Carlos Pinto Gomes e Catarina Meireles da Universidade de Évora..

Na primeira parte da jornada foi apresentado o projeto LIFE-Relict e os seus objetivos. A jornada prosseguiu com uma visita técnica de campo no seio da Mata da Margaraça, onde está um dos melhores azereirais peninsulares. No grupo sentiu-se um espírito de partilha entre todos os participantes, que contribuíram com os seus saberes enriquecendo assim esta ação.

Ao longo de todo o dia a mística Mata da Margaraça mostrou-se ao público num cenário verdejante e fresco pela chuva. O resultado foi muito positivo, no fim do dia o sol brindou-nos com o brilhar das flores dos azereiros.

Um bem haja a todos, que mais flores de azereiros iluminem o nosso caminho.

  08/06/2018

 

 

 

 

 

 

 

 

Klaus Peklo visita a Margaraça – gerando novas alianças e dinâmicas com o Projeto ECOMED

Klaus Peklo, especialista em bioengenharia e membro do projecto ECOMED aceitou o nosso convite e visitou a área ardida da Mata da Margaraça. O objetivo desta visita foi perceber a dimensão da erosão do solo após o fogo de 2017 e delinear estratégias e soluções para resolver este problema.

Para além da equipa do LIFE-RELICT estiveram ainda presentes o professor João Almeida Fernandes (Universidade de Évora), os Doutores João Boléo e Silvia Neves da Paisagem Protegida da Serra do Açor (ICNF) e Artur Costa e Alexandre Silva do Município de Seia.

O fogo de outubro de 2017 afetou grande parte da Mata da Margaraça. Desde então diversos fenómenos de erosão tornaram-se evidentes, incluindo diversos desmoronamentos, alguns dos quais de grande dimensão.

A bioengenharia é uma disciplina técnico-científica que combina conhecimentos de engenharia e de biologia, utilizando a flora e as comunidades vegetais com o objetivo de proteger o solo e as infraestruturas.

O projeto ECOMED tem como objetivo gerar um programa teórico-prático setorial, essencial para o processo de especialização do setor de Ecoengenharia do Mediterrâneo.

Através desta visita foram criadas sinergias e intercâmbio de conhecimentos entre estes dois projetos europeus (LIFE e ECOMED), que trouxeram novas perspetivas e contributos para a gestão das áreas LIFE-RELICT, mas também para a gestão da Mata da Margaraça como um todo.

1º Seminário LIFE-RELICT é já no próximo mês de Novembro!

Em novembro decorrerá na Universidade de Évora o primeiro Seminário do Projeto LIFE RELICT, que será feito em simultâneo com o 17º Encontro Nacional de Ecologia.
Este evento científico encontra-se dividido em 4 tópicos: Grandes ameaças à conservação da biodiversidade; Gestão e conservação de espécies e habitats; Ecologia, gestão e planeamento de ecossistemas aquáticos, e Monitorização e modelação de habitats em resposta a alterações globais.
Será uma oportunidade única para assistir a palestras nas áreas mais importantes da ecologia contemporânea e para apresentar trabalhos nesta área.
O primeiro dia do seminário (dia LIFE-RELICT) é gratuito, mas sujeito a inscrição.

Inscrevam-se nos dois dias ou só no dia LIFE em:
http://www.speco.pt/pt/encontros/17-encontro-nacional-de-ecologia-seminario-life-relict

Ardeu a Mata da Margaraça

Os incêndios de outubro queimaram a emblemática mata da Margaraça.

A Mata da Margaraça, no centro de Portugal, é considerada a mais notável mata de azereiro da Península Ibérica. Integrada na Área Protegida da Serra do Açor, é marcada pela enorme beleza associada a um bosque perenifólio, tão raro no nosso país.

Infelizmente, nos incêndios de Outubro de 2017, mais de 90% da área ardeu, ainda que em muitos locais o fogo tenha sido de baixa intensidade.

Cabeça Aldeia Natal

Todos os anos na pitoresca aldeia de Cabeça, na Serra da Estrela, festeja-se o Natal de uma forma única no país. As casas tradicionais de xisto são decoradas com materiais retirados da natureza e abertas aos visitantes. O resultado final é uma aldeia de contos de fada, comemorando o que muitos apelidam do “mais genuíno Natal de Portugal”.

O projeto Life-Relict aproveitou este evento que leva a Cabeça milhares de pessoas todos os anos, para dar a conhecer o nosso projeto. Foi montada uma exposição na junta de freguesia e feita uma pequena palestra pelo professor Carlos Pinto Gomes (Universidade de Évora).